Os 9 principais benefícios dos suplementos de glicina

Glycine Supplements

Mai Delacruz

Mai Delacruz
Personal Fitness Trainer & Health Coach

Updated on 12/4/2022

Quais são os benefícios dos suplementos de glicina? Você pode pensar na glicina como um aminoácido que seu corpo usa para produzir proteínas, que são necessárias para o crescimento e manutenção dos tecidos, bem como a produção de uma variedade de compostos como hormônios e enzimas que são essenciais para o bom funcionamento.

A

glicina é um aminoácido que pode ser produzido pelo seu corpo naturalmente a partir de outros aminoácidos; no entanto, também está presente em alimentos ricos em proteínas e é vendido como suplemento nutricional.

Além de ser um componente proteico, a glicina tem muitas propriedades benéficas adicionais para a saúde.

Listadas abaixo estão as nove principais aplicações e benefícios da glicina para a saúde e a sociedade em relação aos seus efeitos benéficos e benéficos para a saúde.

1. Necessário para produzir um poderoso antioxidante

Powerful Antioxidant

A glutationa é, sem dúvida, um poderoso antioxidante que ajuda a proteger as células dos danos oxidativos causados pelos radicais livres, que geralmente se pensa estarem na raiz de muitas doenças. O aminoácido glicina é um dos três blocos de construção que compõem a glutationa, um dos antioxidantes mais importantes do corpo. Os outros dois são cisteína e glutamina.

Seu corpo criará menos glutationa se você não ingerir glicina suficiente, o que pode afetar o quão bem seu corpo gerencia o estresse oxidativo ao longo do tempo.

Além disso, como os níveis de glutationa geralmente caem com a idade, garantir que você coma glicina adequada à medida que envelhece pode ajudar sua saúde.

Resumo

Seu corpo pode produzir mais antioxidante vital glutationa com glicina. A glutationa protege seu corpo dos efeitos dos danos celulares.

2. Um componente da creatina

Component of Creatine

Além de ser um aminoácido, a glicina é um dos três aminoácidos que seu corpo precisa para produzir uma substância conhecida como creatina.

A

creatina é um aminoácido que dá aos músculos a energia necessária para realizar atividades de alta intensidade e curta duração, como levantamento de peso e corrida.

Foi demonstrado que tomar um suplemento de creatina e praticar exercícios resistidos pode aumentar o tamanho, a força e a potência dos músculos.

Este suplemento também está sendo estudado por seus potenciais efeitos positivos na saúde óssea, função cerebral e doenças neurodegenerativas, como doença de Parkinson, doença de Alzheimer, bem como outros problemas de saúde que podem ser afetados por este suplemento outras condições de saúde.

Enquanto seu corpo produz creatina por conta própria, e você pode adquiri-la dos alimentos que ingere, consumir muito pouca glicina pode fazer com que seu corpo gere menos creatina do que faria de outra forma.

Resumo

Além de dar aos músculos a energia de que precisam, a creatina também tem sido associada a vários outros benefícios à saúde, como melhorar a saúde de seus ossos e melhorar sua função cognitiva quando você se exercita. A glicina é um componente da creatina.

3. Prolina, o principal aminoácido encontrado no colágeno

Amino Acid

A

glicina está presente em quantidades significativas na proteína estrutural conhecida como colágeno. O colágeno é composto de glicina como cada terceiro a quarto aminoácido.

Seu corpo armazena a maioria das proteínas em geral na forma de colágeno, dando aos músculos, pele, cartilagem, sangue, ossos e ligamentos a força de que precisam para funcionar corretamente.

Em estudos, foi demonstrado que a suplementação com suplementos de colágeno melhora a saúde da pele, reduz o desconforto nas articulações e evita a perda de densidade óssea à medida que envelhece.

Suponha que você queira maximizar a capacidade do seu corpo de produzir colágeno. Nesse caso, você precisará garantir que está recebendo quantidades adequadas de glicina para aumentar a produção de colágeno em seu corpo.

Resumo

O

colágeno é uma proteína estrutural que oferece várias vantagens à saúde, incluindo aquelas para a pele, articulações e ossos. Entre as fontes mais abundantes de glicina, o colágeno é uma das fontes mais significativas de glicina, e a glicina é encontrada na maior concentração de colágeno, tornando-se uma das fontes mais abundantes de aminoácidos.

4. Pode ajudá-lo a ter uma noite de descanso melhor

É comum que as pessoas tenham problemas para ter uma noite inteira de descanso porque têm dificuldade em adormecer ou têm dificuldade em permanecer dormindo depois de adormecer.

Consequentemente, você deve se lembrar de várias coisas que você pode fazer para melhorar sua qualidade de sono, incluindo evitar telas brilhantes antes de dormir e evitar cafeína tarde da noite. Também é possível que a glicina possa ser útil nesse sentido.

Este aminoácido tem um impacto sedativo no cérebro e pode ajudá-lo a adormecer e permanecer dormindo, reduzindo a temperatura no centro do corpo.

Estudos realizados em pessoas que têm problemas para dormir indicaram que consumir 3 gramas de glicina 30 minutos antes de dormir melhora a qualidade do sono, reduz a quantidade de tempo que leva para adormecer, reduz a quantidade de sonolência diurna experimentada e aumenta a função cognitiva.

Por causa disso, a glicina pode ser uma alternativa valiosa aos medicamentos para dormir prescritos para melhorar a qualidade do sono experimentado à noite e reduzir a sensação de cansaço durante o dia.

Resumo

O efeito sedativo da glicina no cérebro e sua capacidade de reduzir a temperatura corporal central podem tornar mais fácil para as pessoas adormecerem e terem melhor qualidade de sono.

5. Pode ajudar a proteger seu fígado dos danos causados pelo álcool

Protect Your Liver

Você pode estar em risco de danos ao fígado se consumir álcool em excesso.

Três formas primárias de lesão hepática são causadas pelo uso de álcool.

O

fígado gordo acumula gordura dentro do fígado, o que faz com que ele fique maior.

A hepatite causada pelo uso de álcool por um período prolongado e em excesso pode levar à inflamação do fígado, conhecida como hepatite alcoólica.

O último estágio da doença hepática alcoólica, também conhecido como cirrose alcoólica, é caracterizado pela substituição do tecido cicatricial no fígado devido às células hepáticas destruídas.

É interessante notar que pesquisas indicam que a glicina pode minimizar os efeitos prejudiciais do álcool no fígado, diminuindo a inflamação causada pelo uso de álcool.

Foi demonstrado que reduz as concentrações de álcool no sangue de ratos alimentados com álcool, aumentando o metabolismo do álcool no estômago e não no fígado. Isso evitou o desenvolvimento de fígado gorduroso e cirrose alcoólica, ambos causados pelo uso excessivo de álcool.

De acordo com algumas evidências, a glicina também pode beneficiar animais que sofrem de danos ao fígado causados pelo consumo excessivo de álcool.

Tomar glicina pode acelerar o processo de cicatrização de danos leves ao fígado causados pelo álcool, desde que você se abstenha de beber álcool.

Um estudo em ratos com lesão hepática induzida pelo álcool descobriu que uma dieta contendo glicina por duas semanas restaurou a saúde das células hepáticas 30% mais rápido do que uma dieta controle. Essa diferença foi significativa.

A pesquisa sobre os benefícios da glicina no dano hepático induzido pelo álcool só foi conduzida em animais. Portanto, os resultados não podem ser extrapolados para humanos, apesar das descobertas encorajadoras.

Resumo

Em ratos, incluir glicina em suas dietas reduz e até reverte os danos que o álcool causa ao fígado, embora as implicações disso nas pessoas não sejam claras.

6. Que seu coração seja salvaguardado

Protect Your Heart

Há um apoio crescente para a ideia de que a glicina pode reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

A aterosclerose, também conhecida como espessamento e constrição das artérias, pode ser evitada evitando o acúmulo de um produto químico que, quando presente em proporções excessivas, tem sido associado ao seu desenvolvimento.

Este aminoácido também pode aumentar a capacidade do seu corpo de utilizar óxido nítrico. Esse produto químico significativo aumenta a taxa na qual o sangue flui pelo corpo e reduz a pressão arterial.

Níveis mais altos de glicina foram relacionados a uma diminuição da incidência de doenças cardíacas e ataques cardíacos em pesquisas observacionais que incluíram mais de 4.100 pessoas com dores no peito. O estudo acompanhou os participantes por 7,4 anos.

Os pesquisadores descobriram que pessoas com maiores níveis de glicina tinham um perfil de colesterol no sangue mais favorável. Esse foi o caso mesmo depois de terem contabilizado os efeitos dos medicamentos para baixar o colesterol.

Além disso, pesquisas em ratos que receberam uma dieta rica em açúcar revelaram que a administração de glicina reduziu a prevalência de vários fatores de risco para doenças cardiovasculares.

Consumir uma quantidade excessiva de açúcar adicionado por meio de alimentos e bebidas pode causar um aumento na pressão arterial, um aumento nos níveis de gordura no sangue e a promoção do crescimento prejudicial de gordura ao redor do abdômen. Qualquer um desses fatores pode causar doenças cardíacas.

Embora esses achados sejam promissores, mais pesquisas clínicas sobre o impacto da glicina no risco de doenças cardíacas em pessoas são necessárias antes que o suplemento possa ser recomendado.

Resumo

A

glicina pode reduzir os fatores de risco para doenças cardiovasculares, evitando o acúmulo de uma molécula ligada a doenças cardiovasculares e aumentando a capacidade do seu corpo de utilizar óxido nítrico.

7. Pode ajudar indivíduos com diabetes tipo 2

A

deficiência de glicina é uma complicação potencial do diabetes tipo 2.

Diabetes mellitus é um distúrbio definido pela diminuição da secreção e ação da insulina. Isso significa que seu corpo não cria insulina suficiente ou não reage adequadamente à insulina que produz.

O açúcar é absorvido pelas células pela insulina, diminuindo assim a quantidade de açúcar no sangue.

É intrigante notar que foi comprovado que a glicina aumenta a sensibilidade à insulina em pessoas que não têm diabetes. Foi levantada a hipótese de que tomar suplementos de glicina pode melhorar a capacidade de resposta à insulina em pacientes com diabetes tipo 2.

O diabetes tipo 2 está associado a baixos níveis de glicina, mesmo quando outros fatores relacionados ao diabetes, como estilo de vida, são considerados. Apesar de outros fatores de risco, isso continua sendo verdade.

Existe a possibilidade de que aqueles com diabetes tipo 2 possam se beneficiar de tomar glicina como suplemento, mesmo que a pesquisa ainda esteja em seus estágios iniciais e nenhuma conclusão definitiva possa ser tirada dos resultados.

Você pode diminuir sua resistência à insulina se tiver diabetes tipo 2 perdendo peso por meio de uma mudança na dieta e aumentando seu nível de atividade física. Perder peso é a melhor maneira de diminuir a resistência à insulina.

Resumo

A diminuição da atividade insulínica característica do diabetes tipo 2 pode ser melhorada tomando glicina como suplemento dietético. No entanto, não há estudo suficiente sobre seu uso em pessoas que têm a doença para que sejam feitas recomendações precisas sobre seu uso.

8. Pode ajudar a proteger contra a perda de músculo

Protect Against Muscle Loss

De acordo com estudos, a glicina provou ser eficaz no tratamento da perda muscular, uma doença que pode ser causada pela velhice, desnutrição ou por uma grande quantidade de estresse no corpo, como no caso de câncer ou queimaduras graves.

A perda de músculo leva a uma diminuição prejudicial da massa muscular e da força, o que, por sua vez, leva a uma queda no estado funcional e pode piorar outros distúrbios que podem estar presentes.

A

leucina, um aminoácido que retarda substancialmente a degradação muscular e acelera o desenvolvimento de novas potências, tem sido objeto de pesquisas como uma terapia potencial para a perda muscular.

Apesar disso, a capacidade da leucina de promover o desenvolvimento muscular é prejudicada por várias alterações fisiológicas que ocorrem dentro do corpo quando existem circunstâncias que causam a perda muscular no corpo.

É interessante notar que pesquisas conduzidas em camundongos com doenças que causam perda muscular, como câncer, revelaram que a glicina pode promover o desenvolvimento muscular, mas a leucina não.

Portanto, a glicina mostra potencial para melhorar a saúde, prevenindo a quebra do tecido muscular que pode ocorrer em várias situações que levam a um estudo muscular.

Ainda assim, há uma necessidade de mais estudos nas pessoas.

Resumo

Embora seja necessário um estudo mais aprofundado sobre as pessoas, descobertas preliminares sugerem que a glicina pode ajudar a reter a massa muscular em circunstâncias que levam à sua perda, como câncer, fome e queimaduras.

9. É simples de incorporar à sua dieta

glycine in food

A

glicina pode ser encontrada na carne em concentrações variáveis e é particularmente abundante em cortes mais resilientes, como mandril, redondo e peito.

A

glicina também pode ser obtida a partir da gelatina, um material produzido a partir de colágeno, e adicionada a vários alimentos para aumentar sua consistência.

A ingestão de glicina também pode ser aumentada em uma variedade de outros métodos mais convenientes, incluindo:

Incluí-lo em várias refeições e bebidas

A

glicina é facilmente acessível e pode ser comprada como suplemento dietético em cápsulas ou em pó. Se você achar difícil engolir comprimidos, a versão em pó tem um sabor agradável e se dissolve rapidamente na água.

O termo “doce” é de onde o nome “glicina” se origina no grego.

Devido ao seu sabor agradável, a glicina em pó é fácil de incluir na dieta. Pode ser adicionado aos seguintes alimentos e bebidas:

  • Café e chá
  • Sopas
  • Farinha de
  • aveia
  • Shakes de proteína
  • Pudim de
  • iogurte
  • Tomar

suplementos de colágeno

A

glicina é o aminoácido predominante na proteína estrutural colágeno, que pode ser encontrado no osso , pele, ligamentos, tendões e cartilagens, entre outros tipos de tecido conjuntivo.

Tomar suplementos de proteína de colágeno é uma maneira de aumentar a quantidade de glicina que você consome.

Foi demonstrado que a absorção da glicina é menos eficaz quando é tomada por si mesma do que quando está ligada a outros aminoácidos, como é o caso do colágeno, uma vez que a glicina compete com outros aminoácidos pela absorção. Por causa disso, é provável que seja um uso mais eficiente dos recursos.

É normal consumir glicina?

A

suplementação de glicina é isenta de riscos quando administrada nas doses recomendadas.

Em outros estudos, os participantes tomaram até 90 gramas de glicina todos os dias durante várias semanas sem sofrer efeitos adversos graves.

Como ponto de referência, a dosagem típica empregada na pesquisa é entre 3 e 5 gramas por dia.

Resumo

O pó de glicina é amplamente acessível e você pode incluí-lo em alguns de seus pratos e bebidas favoritos com pouco esforço. Além de tomar suplementos de colágeno, outra maneira eficiente de aumentar o consumo de glicina é tomar suplementos de colágeno, ambos maneiras livres de riscos de aumentar a ingestão dessa vitamina essencial.

O cerne da questão

glycine

Durante os últimos anos, descobriu-se que a glicina, um tipo de aminoácido, tem um número surpreendente de benefícios positivos para a saúde.

A

glicina é necessária para produzir moléculas essenciais em seu corpo, incluindo glutationa, creatina e colágeno.

Há também algumas evidências de que esse aminoácido pode proteger seu fígado dos danos causados pelo álcool e aumentar a qualidade do seu sono e a saúde do seu coração como resultado de consumi-lo.

Acredita-se também que haja alguma evidência de que a glicina pode ajudar pacientes que sofrem de diabetes tipo 2 e prevenir a perda de massa muscular associada a doenças que causam perda muscular.

Você pode aumentar o consumo dessa vitamina essencial consumindo certos produtos de origem animal, adicionando a forma de suplemento em pó às refeições e bebidas ou tomando suplementos de colágeno.

Agora, você sabe quais são os benefícios dos suplementos de glicina?